Após ótimo disco de estreia, Eliano grava segundo álbum pelo selo Dosol

Agenda Cultural

Eliano está de volta em single "A Cura" e novo álbum 

Novo trabalho tem uma pegada indie com o forte sotaque nordestino e poético do trovador

31 de outubro de 2020

Vem de Pau dos Ferros, no oeste potiguar, um lançamento musical para arrebatar o final de 2020. Cinco anos após “Ecdemomania”, o  cantautor Eliano lançou na sexta-feira (30) o single “A Cura”, o primeiro a integrar o repertório do seu próximo disco “Eliano e Outros Silvas” que será lançado até o final do ano. O artista que também é professor de Letras, ficou conhecido pela junção do folk, pop e MPB, com letras carregadas e poesia.

Em tom autobiográfico, a nova música fala de um relacionamento que atravessa quase uma década sem estar imune aos perrengues da vida. “É mais que uma música de amor, é sobre amadurecimento. O disco está mais maduro, tanto no que diz respeito à composição quanto ao processo de produção”, contou Eliano. 

Lançado pela Incubadora DoSol 2020, o single e também o álbum que terá 11 faixas são parte do pacote de 20 anos do selo, e conta com o patrocínio da Unimed Natal, Prefeitura de Natal e Lei Djalma Maranhão. Eliano e Paulo Souto, o Txio Paulinho, são os dois artistas representados pela Incubadora no ano de 2020.  

Para o produtor musical Anderson Foca, Eliano é um cantautor maravilhoso com quem já queria trabalhar faz tempo. “A gente se conheceu em 2017 quando ele tocou no Festival do Dosol e já vinha nessa aproximação. O discoestá bem bonito. Eliano é indie e ao mesmo tempo bem nordestino, e o novo disco está assim uma mistura de Strockes com Chico César, a pegada é essa”, brincou Foca.  O TL conversou rapidamente por mensagem com Eliano: 

OUÇA “A CURA”

 

'A Cura', o primeiro single do disco inédito que você está lançando, nasceu no período de isolamento ou é de algum repertório guardado?
Eliano: Apesar de parecer uma simples canção de amor, A Cura fala muito sobre mim e meu relacionamento de quase 10 anos com Mariane. Nesse tempo, muitas coisas boas e ruins aconteceram, e isso faz parte do processo de amadurecimento. Essa música é sobre amadurecimento. O disco está mais maduro, tanto no que diz respeito à composição quanto ao processo de produção.

Como foi sua ligação com o estúdio DoSol?
Anderson Foca me convidou para fazer o festival Dosol Sessions, que consistiu em produzir dois vídeos para serem veiculados nas plataformas do festival. Depois dessas músicas, fui convidado para gravar um disco através do Incubadora Dosol.

Fale um pouco sobre o processo de gravação...
A gente grava de maneira remota. Gravo algumas coisas coisas aqui em Pau dos Ferros e mando para o estúdio Dosol e vice versa. Vamos montando a música sob a produção de Foca e minha.

Como está sua agenda e suas criações durante a pandemia?
 Antes da pandemia eu estive concentrado na vida acadêmica. Este ano me tornei professor efetivo no estado da Paraíba. Surgiu esse convite para fazer o disco, mas eu já vinha produzindo independentemente. Útil ao agradável. Em 2021, quando tivermos vacina pelo SUS e o mundo voltar ao normal, pretendo buscar espaços para apresentar meu novo disco.